Pular para o conteúdo principal

REDES


Governo do RN investe em novas rodadas de negócios pela América do Sul

Entre os dias 2 e 10 de maio, os principais operadores e agentes de viagens do Uruguai, Chile, Argentina e Paraguai vão receber, aproximadamente, 30 representantes do turismo do Rio Grande do Norte para a realização de rodadas de negócios, chamadas de Meeting Brasil – missão Rio Grande do Norte. Sucesso em 2017, o evento terá duas edições neste ano e a inclusão do Paraguai no roteiro.
A ação é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo (Setur RN) e da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), com recursos do Governo Cidadão mediante acordo de empréstimo com o Banco Mundial, e tem como objetivo ampliar a presença de turistas destes países no Estado.
“Ações do Governo do Estado em promoção e divulgação do destino se fortaleceram bastante nos últimos anos. Hoje, o Rio Grande do Norte conta com uma forte infraestrutura turística, capaz de receber um maior número de visitantes e se manter como porta de entrada para os destinos no Nordeste brasileiro, oferecendo em seus principais atrativos uma gama de opções para além de Sol e mar”, afirma o secretário estadual de Turismo, Manuel Gaspar.
Dados do sistema de tráfego internacional da Superintendência da Polícia Federal do Rio Grande do Norte registraram aumento de 69,41% de turistas estrangeiros em solo potiguar em janeiro de 2018, se comparado ao mesmo período do ano passado. Esse crescimento se manteve nos meses de fevereiro e março. Principal mercado emissor, os argentinos em solo potiguar representaram um número 144% maior que em janeiro de 2017.
“Entendemos o Meeting Brasil – Missão Rio Grande do Norte como uma grande oportunidade de geração de negócios para o turismo do Estado, o que afeta diretamente a demanda de passageiros”, afirma a gerante de Promoção Internacional da Emprotur, Nayara Santana. Nayara explica as razões que incentivaram o Estado a visitar um novo destino em 2018: “A partir de estudos da Embratur enxergamos um fluxo interessante de paraguaios no Brasil e em especial no Nordeste. Esses dados foram fundamentais na nossa decisão de expandir as Rodadas de Negócios ao país”, conclui.